Otimismo é a palavra mais pronunciada pelos representantes do mercado imobiliário para 2019. E não é para menos: o ano de 2018 trouxe esperança e números positivos para o setor. Nesse ano, a economia começou a esboçar reações positivas e um leve crescimento, em comparação com períodos anteriores.

Para Nilo Zampieri Jr., da Zampieri Imóveis e com atuação no mercado há mais de 25 anos, as pequenas progressões do setor já são perceptíveis.

“Nosso setor é muito sensível à economia. Seja em períodos de crise ou de crescimento, acompanhamos o movimento. Algumas medidas e acontecimentos em 2018 impulsionaram a economia de forma positiva e é nítido que o pior da crise já passou. Consequentemente, o mercado imobiliário também sente, de forma tímida, o reflexo otimista, que tende a ser ainda mais visível neste ano de 2019”.

Outro ponto bem marcante para o segmento foi a vitória de Jair Bolsonaro para presidente da República. O mercado acredita que o novo governo dará início a um processo de maior liberdade e confiabilidade da economia.

“A eleição de Jair Bolsonaro significa a esperança em um Brasil menos corrupto e mais assertivo. As políticas econômicas já apresentadas pelo futuro ministro Paulo Guedes indicam uma liberdade na economia que permitirá o crescimento e o desenvolvimento do Brasil. Ou seja, a abertura vai desburocratizar parte do sistema e, paralelamente, permitir que empresário e empregado cresçam”

, opina Nilo.

A regulamentação dos distratos é mais um fator favorável definido em 2018 que terá reflexos em 2019. Com o texto legal, consumidores e empresários têm definidos os direitos e penalidades de cada um.

“A regulamentação dos distratos foi fundamental para o nosso mercado. Antes, estávamos à mercê do entendimento jurídico que, em muitos casos, prejudicava toda a cadeia produtiva”.